quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Tosse Convulsa

imagem copiada net

O DN noticias, diz que os casos de Tosse Convulsa triplicaram em Portugal.
Ana Leça, diretora dos Serviços de Prevenção da Doença da DGS declarou “ o que aconteceu este ano foi um aumento inesperado do numero de casos, não só em Portugal mas à escala global”, afirmando que o fato de o país estar em pé de igualdade com outros preocupa mais as autoridades, no sentido de perceber o que está na génese da situação. Se fosse só em Portugal bastava ver o que fazíamos diferente para perceber a origem do problema.
Diz ainda: “ em causa não está a falta de vacinação de algumas pessoas, já que a cobertura vacinal em Portugal é de 97%, o atual esquema de vacinação prevê administração aos 2 meses de idade, aos quatro meses, aos seis meses, aos 18 meses e aos cinco anos.
 Também não está afastado o cenário de uma possível alteração da bactéria Bordetella Pertussis.

Pela Internet encontrei muita publicação a falar do surto da Tosse convulsa, principalmente nos EUA e na Austrália.
Uns defendem que a causa pode estar na ineficácia da vacina, na diminuição da imunidade, de pessoas do agregado familiar do bebe estarem ou não imunizados e poderem transmitir a bactéria ou até que a causa é a própria vacina.

O que pensa DGS de Portugal fazer?
Ana Leça diz que estão a ser avaliadas estratégias para responder ao fenómeno e uma das hipóteses é introduzir um novo reforço da vacina na idade jovem ou adulta.

Traga-vos um texto da Natural New, um site americano e o que ele diz da Tosse Convulsa:

A tosse convulsa atingiu níveis epidémicos nos EUA – o maior nos últimos 50 anos, no entanto a maioria das pessoas que contraíram a doença é vacinada. 
 O mais perturbador é que os cientistas suspeitam que as vacinas estejam realmente a causar este surto de Tosse Convulsa devido a mutações da bactéria original em formas mais virulentas.

A tosse convulsa é uma doença extremamente contagiosa do pulmão que pode ser contraída em qualquer idade, mas é especialmente perigosa para as crianças. Bebes e crianças têm a maior taxa de morte devido a complicações que surgem a partir da doença.

Mutação da bactéria relacionada com a vacina, contra a tosse convulsa

Nossa epidemia de Tosse convulsa atual é causada por um novo vírus mortal da bactéria Borderella Pertussis (ptxP3) e seu surgimento está diretamente ligado à vacina contra  a tosse convulsa. De acordo com o artigo,” Epidemia de Tosse Convulsa causada por um novo vírus”, a pesquiza foi feita por Frits R. Mooi que oferece uma teoria sobre o recente aumento desta doença.
Ele aponta que a cepa foi isolada pela primeira vez nos EUA em 1984 e que nas vacinas foram sendo substituídas as cepas originais (ptxP1) por cepas mais virulentas (ptxP3).
Isto pode explicar porque taxas de tosse convulsa são altíssimas para aqueles que foram vacinados – bactérias mutantes adaptam-se à vacina, muito parecido com o que acontece com os antibióticos, onde superbacterias ficam imunes a estes.
O artigo, Whooping Cough Epidemic Caused By Virulent New Pertussin Strain afirma que a“ a bactéria ptxP1 que é a pertussis original foi gradualmente sendo substituída pelo ptxP3 que mostra um grau elevado de polimorfismo, além disso parece que a ptxP3 não foi encontrada na era pré-vacinal.

A polémica em volta das vacinas é grande, uns são a favor, outros contra, outros a favor mas não da forma como estão a ser feitas nem como estão a ser administradas.
Quanto a mim, não vou-me pronunciar muito sobre este fato, não sou conhecedora do “porquê deste surto de Tosse Convulsa”, quanto à vacinação, defendo uma vacinação livre, onde cada um se informa e escolhe a posição a tomar sobre si e sobre seus filhos.

Sem comentários:

Enviar um comentário