segunda-feira, 24 de junho de 2013

Questionar "A Mente dos Médicos"

Adicionar legenda
Gostava de fazer e publicar um estudo "A Mente dos Médicos".
Primeiro para eu própria perceber, chegar a uma conclusão e depois porque penso que seria interessante.
Da mesma forma que temos que estudar o historiador, para entender a veracidade da historia temos que estudar o "Homem Médico" para entender determinadas atitudes.

O que me levou a pensar o acima, foi o Programa de hoje do Manuel Goucha na TVI, onde foi convidado o Dr. Fernando Pádua, senhor com 85 anos, doutorado em medicina, cirurgia e Presidente do Instituto Nacional de Cardiologia.
O programa questionava se o colesterol era a causa ou o sintoma das doenças cardiovasculares.
Fiquei interessada, visto que o convidado era uma pessoa de peso.

Goucha referiu o site The international Network of Cholesterol Skeptics ( Rede Internacional dos Cepticos do Colesterol), onde Uffe RavnsKov, um pesquisador dinamarquês desmente a Teoria do Colesterol e alerta para a toma das Estatinas, e olha para o Dr. Fernando Padua e pergunta-lhe: "tem conhecimento disto?"
"Sim, esse Senhor não devia de dizer essas coisas. O colesterol é a causa das doenças cardiovasculares". E acrescenta" as pessoas não devem interromper a toma das Estatinas, é dos melhores medicamentos que se descobriram".
E volta a referir que o colesterol é a causa das doenças cardiovasculares.

Fiquei pasma, mas fiquei há espera de uma justificação; porque estava errado o pesquisador? Sempre pensei que o Dr. Padua ía dizer: " esses senhores dos Cepticos do colesterol e outros estão errados, porque..." 
"O colesterol é a causa das doenças cardiovasculares, porque..."
Que indicasse que estudos foram feitos que justificassem as suas afirmações; qualquer coisa, para que nós que estamos a ouvir, percebamos. 
Mas nada, nada foi justificado nem explicado.
Ainda não entendi porque a maioria dos médicos não explicam as coisas, se têm medo que nós não entendamos ou se nós entendamos de mais?

Temos um medico na televisão a defender a toma das Estatinas (medicamentos para descer o colesterol), como se tratasse da coisa melhor do mundo, onde o próprio site da FDA chama atenção para a toma delas e da sua relação com o cancro, com o aumento dos níveis de açúcar, lesões hepáticas, entre outros, vejam aqui e aqui.
Muitas pessoas dizem "leu na internet? Há muita coisa errada na internet!" Sim, é verdade, por isso estou aconselhar o próprio site da FDA, que é a agencia do governo dos EUA responsável  pela regulação dos alimentos e dos medicamentos.

E ali continuei a ouvir o senhor e a questionar-me, a questionar-me porque pareceu-me uma pessoa sincera, e que estava a falar aquilo que realmente acredita, o que me confundiu ainda mais e levou-me para outros campos.

Quem não conhece as atitudes menos boas da religião católica na idade média?
Matavam-se mulheres, porque "eram bruxas", eram deitadas à fogueira com a bíblia. Porquê?
Será que todos os padres envolvidos nestes atos eram maus? Ou eles tinham que acreditar que estavam a fazer o certo? E, se por acaso não o fizessem? Como é que a religião os olhava? Qual era a solução?
Acreditar e seguir caminho?
Sim. Pode ser uma forma de viver dentro daquilo que se é, de cumprir com o estabelecido, mesmo que não concordemos, pois o melhor para a nossa própria mente é realmente acreditar que assim o é, uma forma de não ter peso de consciência.

 Vejamos o que acontece com os médicos que são contra o sistema instituído de medicina, e que falam o que pensam, e se o que pensam é contra o que está instituído, ele deixa de ser medico, como aconteceu com o pesquizador referido acima.
Lembram-se do caso das vacinas para a gripe das aves ou dos porcos? Lembram-se dos médicos que foram ao Telejornal incentivar a vacina, inclusive a crianças e gravidas? O que pensou esse medico na altura, e hoje como se sente?

O desabafo fica por aqui, não devo dizer mais nada, mas...


3 comentários:

  1. Olá,

    tal como este médico, todos os médicos que preconizam a vacinação para tudo e mais alguma coisa, seguem o que lhes indicam e não pesquisam minimamente, simplesmente se quiséssemos que eles assinassem um documento de responsabilização sobre as vacinas que receitam ou que somos obrigados a dar aos nossos filhos, acho que não assinariam.

    Vou deixar aqui apenas doi, de imensos links que existem para a consulta sobre este assunto das vacinas:

    http://www.thelibertybeacon.com/2013/02/24/60-lab-studies-now-confirm-cancer-link-to-a-vaccine-you-probably-had-as-a-child/

    http://www.realfarmacy.com/if-your-doctor-insists-that-vaccines-are-safe/

    ResponderEliminar
  2. Deixo tb este documentário que já me tinha esquecido:

    http://www.youtube.com/watch?v=H4bhwgXsbzA&feature=related

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelos seus comentarios.
    Felizmente não somos obrigados a dar vacinas aos filhos, a nivel escolar só é exigido a vacina do tetano. A minha filha tem 18 anos, está a terminar o 12º e desde dos 4 anos que não leva vacinas, excepto a do tetano aos 11 anos.
    Como é que um medico pode se responsabilizar pelo efeito das vacinas, se até os laboratorios que as fabricam conseguiram uma lei que os isenta de qualquer responsabilidade?

    ResponderEliminar