terça-feira, 16 de julho de 2013

Diabetes, uma doença Agridoce!

imagem copiada net
"Excessivamente doce e silenciosa, e tão gritantemente amarga.

Fruto de um dolce far niente ultra sedentário, património dum mundo dito civilizado, repleto de excessos calóricos gordurosos, cremosos, "banhosos", "fritosos", que compõem a dieta psiquiátrica que nos entra pela goela abaixo, com o único propósito de nos aliviar do peso da pseudovida moderna. Prazer rápido, o da comida saborosa.

Que grande satisfação! Primeiro doce, mas depois amargo.

Amargo de obesidade, amargo de HTA, amargo de Hipercolesterolemia e amargo de hiperglicemia. Amargo de tão doce que é!

Múltiplos fatores concorrem para a causa da diabetes.
O estilo de vida é um dos principais, o que na maioria dos casos leva à obesidade.
A diabetes tipo II, que no passado, se descobria após os 40 anos, aparece agora em adolescentes obesos. Daqueles desportistas de sofá, campeões virtuais de videojogos mas campeões reais, no que toca a engolir comida low cost empurrada por mega bebidas de açúcar, levemente diluídas num pouco de agua. Daqueles que se escandalizam e guincham ao verem aparecer no seu prato um alimento de cor verde. "oh que nojo". Num gesto rápido, tal D`Artagnan põem a ervilha num canto ou retiram a folhinha de alface do pão e pumba no balde do lixo.

Seria fácil culpa-los, mas somos todos responsáveis.
Os pais , os educadores, os profissionais de saúde, o estado e a educação para a saúde. Ou a falta dela! Responsável também a sociedade que permite que uma alimentação saudável com produtos frescos, seja mais cara que produtos fast food.
Responsáveis todos nós pelo pecado da gula, por apreciarmos sempre o mais doce, o gordurosos e o monocromático.

A Organização mundial da saúde (OMS) estima que em 2030 mais de 300 milhões de pessoas, em todo o mundo, possam vir a sofrer de diabetes tipo II. 
Todos os esforços são importantes no combate desta doença, que já se considera ser uma epidemia mundial. Apesar dos avanços, persistem muitos pacientes que são intolerantes aos antidiabéticos orais e ainda outros que apesar da medicação mantêm a diabetes descompensada."

O texto acima não é meu, é de João Choy, diretor de revista Shenmen de Medicina Chinesa, mas amei tanto o texto que decidi publica-lo.
Que este mundo dito civilizado acorde, e comece realmente a deitar as sementes de uma civilização mais saudável, sem necessidade de químicos, feita toxicodependente, para viver.


Sem comentários:

Enviar um comentário