sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Soja - tem status de alimento saudável, mas não é

imagem copiada net
A maioria das mães sabe que têm de retirar os lácteos da alimentação das crianças quando estas têm alergias, asma, eczemas e dermatites.
Mas, estamos tão habituados ao leite, que procuramos uma alternativa, e como não podia deixar de ser a industria alimentar respondeu com o leite de soja. Hoje, em qualquer supermercado ao lado do leite de vaca, está o leite de soja.
Mas será que a troca é boa?

Na realidade tem mesmo de haver uma troca, porque a criança não vai melhorar sem retirar os lácteos, mas a soja não é uma boa opção.
Mike Fitzpatrick, é um cientista ambiental e um ativista contra a soja, principalmente contra as formulas infantis à base deste feijão. Ele diz que há risco de doenças na tiroide em bebés e crianças que tenham sido alimentados com soja não fermentada.
No relatorio que apresentou diz que os bebes alimentados com formulas de soja estão expostos a altos niveis de isoflavonas, que considera ser agentes anti-tiroide e que pode afetar o crescimento e o desenvolvimento normal das crianças.

Fitzpatrick diz que é difícil reconhecer a relação negativa que a soja tem na tiroide, porque há sempre dificuldade em se perceber a causa e o efeito, mas defende que as isoflavonas de soja podem agravar os problemas de bócio e hipotiroidismo, por isso recomenda cautela, tanto nas crianças como em adultos, ao uso da soja e aos suplementos de isoflavonas.(1)
Há muito que deixei de recomendar soja, uso unicamente soja no molho shoyo ou tamari biológico e por processo de fermentação. A soja possui compostos chamados anti-nutricionais, ou seja o seu consumo dificulta a absorção de minerais como o ferro, zinco e cálcio. Estas substâncias más para nós, são chamadas de fitatos, que se diz serem anuladas após o cozimento, mesmo assim penso que a soja não deve ser contante na mesa de cada um de nós.
É um alimento industrializado que por uma jogada ou de marketing ou de sorte ganhou status como se tratasse de um alimento saudável, mas não é.

Quanto ao leite, substitua por outros bem mais nutritivos e fáceis de fazer como o leite de amêndoa, de sésamo, de cânhamo, de avelã, de aveia, de coco, enfim tantas opções boas.

(1) Nova Zelandia Medical Journal, (volume 113, Feb 11, 2000)

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Hoje é a tensão alta, é a resistência à insulina...Amanhã é a doença de Alzheimer

Imagem copiada net
No meu percurso pedestre deste fim de semana, encontrei um senhor meu conhecido de 78 anos, que caminhava sozinho. Perguntei-lhe pela esposa e com ar triste e até algumas lagrimas, respondeu-me que estava no Lar. Teve de interna-la, porque sofria de Alzheimer e já não conseguia tomar conta dela. Ficou sozinho.
Quantos casos destes não existem?
Casamos, trabalhamos 40 anos e depois quando ficamos de "ferias" um de nós adoece e o outro fica sozinho...realidade triste.
A saúde é como a felicidade, é um direito que temos, por isso é importante não sermos negligentes, é importante perceber que chega uma hora que temos de "agarrar o touro pelos cornos" e respeitarmos o nosso corpo.

Como sabemos a doença de Alzheimer  é uma forma cronica de demência que resulta em perda de memoria grave e por vezes a morte.
A tristeza é que o numero de pessoas com Alzheimer continua a aumentar... mas...nós não queremos fazer parte desta lista futura, porque ter alzheimer não é uma parte normal do envelhecimento.

O Alzheimer como todas as doenças cronicas e degenerativas não surgem de um dia para o outro, elas instalam-se e permanecem porque o organismo "aceitou conviver" com esse desequilíbrio funcional, por isso é mais comum na terceira idade onde o corpo carece de energia Vital.

Pensa-se que há uma correlação entre o alzheimer e outras doenças.
Muito tempo antes de surgir o Alzheimer, o corpo surge com doenças precursoras da demência, coma a resistência à insulina ( diabetes tipo 2) hipertensão arterial, o aumento de gordura na zona da barriga unicamente e até níveis elevados de acido úrico. Sim. Há uma relação entre estas doenças, a inflamação sistémica e o surgimento do Alzheimer, o que nos leva a dizer que ao prevenirmos e controlarmos estas doenças estamos a fazer uma verdadeira prevenção ao Alzheimer na terceira idade.

A Medicina Natural Tradicional há muito que defende que quase todas as doenças cronicas degenerativas estão relacionadas e têm causas similares, ou seja surge um desequilíbrio - uma falha no multi-sistema - que numa pessoa leva a determinada doença/sintoma e noutra pessoa a outra doença/sintoma, por isso alguns Mestres da saúde antigos defenderam que a doença é só uma, os doentes é que são muitos, porque seria a forma como essa doença iria se desenvolver naquele corpo.

O facto da doença ser "uma só árvore com vários ramos" é uma boa noticia, porque se conseguir resolver com sucesso um problema irá melhorar todos os outros.
O que quero dizer com isto?
Vamos supor que tem 40 anos ou 50, que tem hipertensão, tem os valores da glicemia altos, logo tem a probabilidade de quando chegar aos 70 ou 80 anos vir a ter Alzheimer, por isso temos de trabalhar agora, e conseguir através do estilo de vida valores normais e muito importante  - sem medicação.
Previne a hipertensão, a diabetes e diminui o risco da doença de Alzheimer.

Se chegou até aqui deve de estar a perguntar-se, mas o que é que eu posso fazer? Que medidas ou que alterações posso tomar?
Não há uma receita, há um estilo de vida a viver e a implementação de algumas técnicas simples, como:
- Ter uma alimentação nutritiva, com abundancia de alimentos frescos, vivos, crus como os legumes e a frutas. Evite tudo o que é alimentação industrial, evite o açúcar, o excesso de amido.
- Diariamente ingira ácidos gordos  benéficos como os omega-3, mas derivados das sementes como linhaça e chia, entre outras. O peixe também é uma fonte de ómega -3, mas cuidado porque a maioria está contaminado com mercúrio e são de aquicultura.
- Comer alimentos com cor, principalmente os que variam nas cores avermelhada e roxa como as uvas, as ameixas, as amoras, os morangos, as cerejas, a beterraba. O que faz estes alimentos terem estas cores é um pigmento chamado de antocianinas que possui uma atividade antioxidante vinte vezes maior que a Vitamina C e cinquenta vezes superior à da vitamina E.
- Esforce-se para melhorar sempre o seu stock de Vitamina D, para isso exponha o mais que puder sua pele ao sol.
- Faça exercício, ande...caminhe...dance...mexa-se.
- Evite o alumínio, é um ingrediente muito comum em produtos de uso diário, como desodorizantes, cosméticos, produtos de higiene pessoal ou de limpeza, assim como em utensílios de cozinha como tachos e frigideiras.
- Evite medicamentos, especialmente os prescritos para dormir, para a hipertensão, reposição hormonal e anti-psicóticos, pois alguns tem sido ligados à demência como:
 Metildopa - medicamento anti-hipertensivo.
Cloridrato de propranolol ( Inderal) - é um betabloqueador usado em varias situações nomeadamente hipertensão.
Cimetidina ( Tagamet) - medicamento usado para reduzir o ácido no estomago e prescrito em ulceras duodenais e gástricas.
Alprozolam ( Xanax) que é um antidepressivo.
- Evite as vacinas, elas não são totalmente inócuas, muitas vezes contêm mercúrio e alumínio que são ambos prejudiciais para o cérebro.
- Beba água sem fluor.
- Exercite o cérebro, aprenda a gostar de aprender, viaje, passeie, escreva, faça palavras cruzadas...qualquer coisa que traga satisfação e vontade de se conectar com o outro...com o Mundo.


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O ato mais anti-bacteriano

Imagem copiada net
Além de ser o mais antibacteriano, também é dos atos higiénicos o mais antigo - Lavar as mãos.
Lavar as mãos é importante, é uma forma natural de prevenir infeções por estafilococos.

Não esqueçamos de lavar as mãos e ensinemos os mais novos dando o primeiro passo. Se os pais forem à casa de banho e saírem sem lavarem as mãos os filhos não perceberão porque é que têm de o fazer.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Era uma vez um jovem violento...que deixou de ser

imagem copiada net
Era uma vez um jovem...que tinha episódios de violência contra si mesmo e contra os outros, ele próprio se considerava "...um garoto miserável...". Tinha um temperamento ruim, sofria com dores de cabeça e bulimia, foi expulso da escola aos 14 anos.
Parece uma historia atual?
Pois bem...não é.

Este homem viveu até 2011, morreu com 96 anos e era um defensor do exercício físico.
A historia da vida dele mudou quando ele tinha 15 anos e ouviu uma palestra de Paul Bragg sobre alimentação. Inspirado mudou seu estilo de vida, a sua alimentação que mais tarde culpou como sendo a causa do seu comportamento violento.

Formado em Quiroprática, trabalhou muito para ajudar os outros a transformar suas vidas e a terem uma saúde melhor - era a sua missão. 


Defendia e dava testemunho de que o exercício e a nutrição ideal podia ajudar a manter as pessoas longe das doenças cronicas.
Concordo plenamente e junto-me a ele quando diz:

" O exercício é o rei, a nutrição é a rainha, se os juntarmos ganhamos o reino."