quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

É o seu coração que decide...


Sempre acreditei que o Poder está em nós, e não estou sozinha nesta fé, o compositor e escritor M.R. Menezes também defende que somos nós os co-autores da nossa Vida:
Diante de um quadro de mudanças, muitos são os que se perguntam: O que devo fazer? A quem seguir? Em quem confiar? Como fica minha religião, o meu sistema de crenças? Como ficam meus filhos, minha família, meu cão? Quem sou eu? De onde vim? Para onde vou?
A resposta para isso tudo parece-me, hoje, muito simples: tudo ocorrerá tal como você desejar em seu coração.
O quê? Simples assim? Não pode ser!
Mas, de fato, assim é…
Afinal, esta é a grande chave, o poder sempre esteve e sempre estará em… Você!
Você necessita apenas…
Estar consigo mesmo, integralmente, incondicionalmente; 
Amar, respeitar e honrar o ser que você é.
Só isso??
Sim…
Parece fácil, mas não é…
Por isso, é hora de pensar grande, e pensar grande significa pensar em… Você…
Olhe atentamente para sua vida…
Observe agora todos os aspectos sombrios e luminosos de sua existência.
Agora imagine a riqueza do somatório de todas essas experiências…
Sim, você fez coisas questionáveis…
Mas também fez coisas memoráveis!
Sim, você errou muitas vezes…
Mas também acertou outras tantas!
Imagine agora se você colocasse tudo isso em um báu,
e retirasse de todas estas experiência os rótulos de “bom” e “mal”, “certo” e “errado”, “luz” e “sombra”.
O que resultaria?
Um magnífico acervo de experiências.
Agora se pergunte…
Será que alguém neste Universo tem um báu exatamente como o meu?
A resposta é não! Ninguém tem um báu como o seu.
UHAU!!!
Acho que você nunca tinha pensado nisso, não é?
A questão agora é… O que fazer com ele, com este báu único?
Alguns falam que devemos destruir, esvaziar, transmutar o báu,
libertarmo-nos de tudo, queimar tudo, incinerar o passado, os egos, os pecados, os desejos…
Pode ser até que funcione… 
Pode ser até que isso seja possível…
Mas… Será que é isso que seu coração realmente quer?

Jogar tudo fora? Suas dores? Suas derrotas? Sua luz e suas sombras?
Eu proponho, então, um outro olhar sobre este baú…
Um olhar generoso,
um olhar amoroso.
Abrace este baú!
Ame tudo o que há dentro dele!
Ame suas memórias sombrias tanto quanto as luminosas.
Ame seus fracassos tanto quanto suas vitórias.
Ame-se integralmente!
E agora ame o báu de todos os outros seres, tanto quanto ama o seu.
Experimente!
Deixe-se levar…
Não selecione nada…
Não exclua nada…
Não julgue…
Não discrimine…
Feito isso… siga a Vida!!!


Sem comentários:

Enviar um comentário