quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Uma historia de hipertensão e aquilo que eu mudava


Vou-vos contar uma história real:
Uma mulher de 41 anos sentiu-se mal no seu local de trabalho, e ao verificarem a tensão perceberam que estava alta, a máxima perto dos 19 e a mínima a mais de 9. Realmente os valores estavam altos visto que o normal é 12/8. Levaram-na para o Hospital, fizeram-lhe perguntas e alguns exames e o médico concluiu que era do sistema nervoso, e prescreveu-lhe diazepan ( unisedil 5mg) um medicamento para acalmar,  e mandou-a  controlar os valores da tensão diariamente.
Passados 10 dias conseguiu consulta na medica de família e mostrou a sua listagem de valores da tensão, na maior parte das vezes dentro de valores normais, mas havia dias com valores mais altos, dias esses que ela apontou serem os mais stressantes, contou que sua vida levava-a a estar preocupada e sem saber bem o que fazer, e nestes momentos sua tensão tendia a subir para valores perto de 15 e a mínima a 9, perante este quadro a medica medicou-a com um antihipertensivo, que não consegui saber qual era.
Agora toma o calmante ( diazepan), o que a deixa com uma cara de quem não dormiu, e o antihipertensivo.

Decidi contar esta historia, porque deve ser semelhante a tantas outras, historias que podiam ter outro rumo, digo outro rumo, porque pergunto-vos o que pensam que vai acontecer a esta mulher daqui a seis meses e daqui a um ano?
Diazepan é um calmante que mostrou em estudos ter um efeito sintomático na redução da hipertensão, mas tomar sempre? Até quando? Diazepan causa dependência física e psíquica, e até pode levar a depressão, nós queremos ser homens e mulheres fortes e saudáveis com força para caminhar na vida, como vamos conseguir dopando a mente?
Pois, eu sei que a vida, ou melhor a sociedade traz-nos problemas e a tensão arterial sobe e não pode estar demasiado alta, mas também sei que existem formas que seguem a jura de Hipócrates, onde é dito que em primeiro lugar não se deve fazer mal, isto é, prejudicar o corpo.

Sabe-se que uma das causas da hipertensão primaria, é o trabalho exagerado do sistema nervoso simpático, ou seja sempre que você se sente como se estivesse em frente a um leão, em estado de stress, você pode elevar os valores da tensão, mas então porque sobe nuns e noutros não?
Talvez porque uns têm nutrientes para o seu sistema nervoso funcionar controlado e outros têm falta desses nutrientes, falo essencialmente do magnésio.
Sabe-se que as pessoas que têm tensão alta apresentam alterações nos ions de cálcio, sódio, potássio e magnésio dentro da célula, isto é, pacientes hipertensos geralmente têm pouco magnésio dentro da célula e muito sódio e cálcio, por isso muitos pesquisadores têm falado e continuam a alertar sobre a importância do magnésio na hipertensão.
Problemas na vida excita o sistema nervoso, o que provoca uma contração nos vasos sanguíneos o que vai subir os valores da pressão arterial, mas se houver magnésio na sua célula, os tecidos dos vasos vão dilatar, não permitindo uma tensão arterial alta.

Acredito que esta mulher facilmente resolveria o seu sintoma de desequilíbrio e de alerta, se tomasse conta da sua saúde.
Devia fazer uma alimentação dirigida a combater a hipertensão, rica em magnésio, com folhas verdes (todo o verde tem magnésio) produtos integrais como arroz integral, farinhas integrais, amêndoas, abacates, sementes de sésamo, sementes de girassol, pinhões, etc.
Além da alimentação, penso que era necessário tomar magnésio, o que recomendo o cloreto de magnésio. Apanhar sol sempre que possível, fazer exercício físico, principalmente ioga com técnicas de respiração.
Os resultados daqui a seis meses eram bem diferentes dos que vão ser, sem falar dos efeitos secundários que ai vêm para lhe prejudicar a saúde e a fragilizar ainda mais, pois daqui algum tempo que cabeça terá para enfrentar os problemas da vida, porque estes surgirão sempre e nós temos de estar o melhor possível para sobreviver a eles.
Nosso corpo e nossa mente não precisa de substâncias químicas, que nosso corpo não conhece, substâncias que vão ser metabolizadas prejudicando ou o fígado ou o rim, não precisamos disto, precisamos de nutrientes que têm ações conhecidas pela biologia do nosso corpo, para que dessa forma ele possa restabelecer a sua normalidade.

Não quero dizer, nem aconselhar quem está medicado para a tensão alta, principalmente se já há muito tempo, a deixar a medicação, mas pode se assim o entender tomar magnésio, claro que o ideal era poder ir no seu médico e conversar abertamente, e o médico perceber e respeitar que o paciente deixou de ser paciente e passou a ser ativo na cura do seu corpo e que quer o melhor para ele. Considera-se que uma pessoa medicada à vários anos para a hipertensão tem muito mais dificuldade em voltar à normalidade, por isso não deve deixar de um dia para o outro a medicação, mas pode começar a trilhar o caminho para a normalidade da tensão arterial, e esse caminho começa quando a pessoa percebe que não há doenças incuráveis.


1 comentário:

  1. Olá Fernanda
    Sou Um "buscador" há já alguns anos, dessa filosofia que me pareceu vislumbrar na leitura que fiz do seu perfil, na sua "casadasaudenatural".
    Como sou um hipertenso, medicado, mas com imenso desejo de por de lado os medicamentos, li com imenso interesse esta "História de hipertensão"
    Concordo com quase tudo o que diz, ainda que as minhas "certezas" não sejam tão firmes como me pareceu ver nas suas.
    Parabéns pelo seu blog, e acredite que vai ter mais um leitor

    ResponderEliminar