segunda-feira, 31 de março de 2014

Não se esqueça de juntar esta folha aos cozinhados... ela previne os efeitos colaterais da diabetes tipo 2

imagem copiada net
Algo de errado estamos a fazer, o numero de pessoas com diabetes continua a aumentar, é uma pandemia e infelizmente verdadeira.
As pandemias doutrora tinham como causa vírus, que contagiavam uns e outros, e assim podíamos dizer que a culpa ou a causa da doença vinha de fora, do exterior; lembremo-nos da varíola, peste negra (provocada pela bactéria Yersinia pestis), etc.
Mas, a pandemia atual da diabetes não é causada por nenhum "demoniozinho" externo, é causada pelo o estilo de vida que não está adequado ao corpo humano. A medicina considera-a uma doença cronica, que não tem cura, mas relatos de varias pessoas que mudaram a alimentação e passaram a fazer exercício (caminhar) conseguiram equilibrar a glicemia para valores normais sem medicamentos anti-diabeticos.

Muita coisa pode-se fazer para restaurar o "normal" do corpo, umas pessoas conseguem ir mais longe e outras estão tão viciadas no tipo de vida atual que precisam de mais ajuda, mas o meu conselho de hoje é tão simples, é um fatorzinho a juntar a outros para equilibrar a glicemia.
Falo-vos do Laurus nobilis - mais propriamente - O LOURO, aquela folhinha que nossas avós punham nos cozinhados.


Descobriu-se que as folhas de Louro têm um antioxidante natural - cinamtanina B-1, que previne complicações  derivadas da diabetes tipo 2 ou não insulinodependentes, porque freia a ação dos radicais livres e evita a deterioração celular, além de ajudar nos processos digestivos.

Um estudo publicado aqui, mostrou que o consumo de folhas de Louro diminui os fatores de risco para a diabetes e doenças cardiovasculares e sugere que as folhas de Louro são benéficas para as pessoas com diabetes tipo 2.

Vamos resolver a diabetes tipo 2 com folhas de Louro?
Não, era infantil pensar que sim.
Vamos é aprender a juntar ás nossas refeições aquilo que é benéfico e vamos retirar aquilo que nos prejudica e assim a pouco e pouco vamos começar a ajudar o nosso corpo a se restabelecer com as coisas certas.

SUPLEMENTOS VITAMINICOS - benéficos ou prejudiciais? E, na ESCLEROSE MULTIPLA?

imagem copiada net
Se deve tomar suplementos vitamínicos ou dar aos seus filhos, é uma decisão que só cabe a si.
Ultimamente a publicidade televisiva sobre estes produtos tem sido insistente, o que me leva a crer que têm tido um feedback positivo, ou seja está-se a vender bem.

Devido à forma de cultivo, os alimentos atuais não são tão ricos em vitaminas e minerais como o eram antigamente, por isso muitos defendem que precisamos de suplementar essas carências. Outra das razões que levam a que estes suplementos ou antioxidantes a serem apregoados como benéficos é o fato de que eles ajudam o organismo a libertar-se dos radicais livres, estes que prejudicam as células, alteram o ADN, causam envelhecimento precoce e até podem ser uma das causas do cancro.
Se os complexos vitamínicos ( tanto de ervanária, como de farmácia) nos repõem as nossas carências e ajudam o corpo a descartar-se dos radicais livres, então eles são uma boa opção na linha de uma melhor saúde?
Pois para mim e para muitas outras pessoas não são.
Mesmo sem saber, que estudos têm mostrado que eles até são prejudiciais, é fácil percebermos, eles são sintéticos, feitos num laboratório e nosso corpo não foi feito para se alimentar de produtos feitos em laboratório.

As vitaminas sintéticas não realizam as mesmas funções no nosso organismo que as vitaminas encontradas em alimentos completos, e pior do que isso é que elas esgotam o nosso corpo de outros nutrientes além de darem um trabalho esforçado aos rins para as excretarem, por exemplo a toma de Vitamina A por um longo tempo pode levar a problemas hepáticos como cirrose.
Cuidado com os sintéticos, pois eles podem perturbar o funcionamento fisiológico normal.

Quando é que vamos compreender que as pilulas não são chaves para uma melhor saúde?
Eu acredito na existência de uma formula magica, que para mim passa por uma melhor escolha dos alimentos, pela forma como os cozinhamos, como os comemos, como os mastigamos, digerimos e depois como os absorvemos. Claro que esta formula é trabalhosa, mas vejamos que não há outra saida:

- Um estudo publicado em janeiro de 2014 na Science Translational Medicine (1), concluiu que tomar suplementos com vitamina E e N-acetilcisteína aumentou a taxa de crescimento de tumores em camundongos, porque estes suplementos sintéticos levam à inativação de um gene especifico (p53) que controla o crescimento do cancro em pessoas normais. Uma vez que este gene ( p53) é inativado, o efeito antioxidante simplesmente não funciona, por isso se aconselha as pessoas com risco de desenvolver cancro a abster-se de suplementos antioxidantes/vitamínicos.

- A Mayo Clinic Proceedings testou e publicou os efeitos da toma de complexos vitamínicos e disse: "A investigação em humanos não demonstrou convincentemente que tomar suplementos antioxidantes podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver ou morrer de cancro e alguns estudos têm mostrado mesmo um aumento do risco de alguns tipos de cancro." (3)

Pelo que acabei de expor, nunca recomendo complexos vitamínicos, podemos sempre tentar compensar com alimentos ricos, com a toma de sucos concentrados, com tratamentos locais naturais que tonificam/equilibram o aparelho digestivo para que possamos nos reconstituir e regenerar da melhor forma.
Não concordo com os suplementos de cálcio, de vitamina C, de vitaminas Bs, de selénio, de magnésio, etc... antes escolher alimentos ricos nestes nutrientes e ingerir numa rotina diária.
No entanto, existem algumas situações que penso que podia recomendar a toma, como é o caso da Vitamina D nos doentes de esclerose múltipla.


O neurologista brasileiro Cícero Coimbra tem mostrado resultados no controle da esclerose múltipla com doses altas de vitamina D. Atenção que esta suplementação deve ser guiada por um medico, visto que é um químico; chama-se vitamina D mas ao ser sintética é químico com seus efeitos secundários, mas é um químico bem diferente dos interferons que estes doentes injetam. Entre escolher injetar-me com interferons ou tomar altas doses de vitamina D, eu escolheria sem duvida a toma de vitamina D, mas apenas em casos como este.

Sei que não é rentável economicamente, por isso fica nos falares filosóficos; mas o tempo que andamos a inventar "pilulas" para repor um pouco mais à esquerda ou à direita, devíamos de criar ou melhor recriar a nossa forma de cultivar os alimentos, estes sim -"tijolos da nossa casa".

 (1) natural new
(2) http://www.cancer.gov/cancertopics/factsheet/prevention/antioxidants
(3) http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0025619611611154


segunda-feira, 24 de março de 2014

Cebola tem propriedades Antianémicas

imagem copiada net
Somos feitos da mesma matéria daquilo que é feito a Natureza do que nos rodeia.
Quando por algum motivo, nosso corpo se desequilibra, só precisamos de olhar em volta e ver o que podemos fazer para ajudar o corpo a voltar à sua normalidade.
Em casos de anemia, um dos alimentos funcionais que devemos de consumir numa rotina diária, é a cebola - cebola crua.
A cebola e rica em ferro, fosforo e vitamina E, o que ajuda na fabricação do sangue.
Coma diariamente, de uma a duas cebolas diárias.

É fácil, basta juntar à sua salada diária, pode usar cebola branca ou roxa.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Toque... Abrace... e faça frente ao Stress, com a Oxitocina

imagem retirada net
Não tenho duvida de que fomos feitos com tudo, para podermos produzir tudo e para que dessa forma possamos usufruir o melhor de tudo.
A maior parte daquilo que sentimos, é reflexo de reações químicas e hormonais que existem no nosso corpo e uma das grandes intervenientes é a OXITOCINA.

A Oxitocina é uma hormona produzida no hipotálamo e liberada no sangue através da glândula pituitária.
Está presente no momento mais importante para a mulher que é na altura do parto, mas também interage nas nossas emoções e nos nossos relacionamentos.
É a hormona do Bem-estar...da Felicidade.

Quanto mais Oxitocina produzirmos, melhor somos capazes de lidar com os aspetos stressores da vida, ou seja dentro de nós esta hormona combate o stress, reduz a pressão arterial e diminui a ansiedade e os medos, ajuda nosso organismo a recuperar a homeostasia e desta forma nosso sistema imunitário se restabelece.
Ela mantém nosso coração em forma.

Todos temos que querer aumentar nossos níveis internos de oxitocina, para que o Mundo fique mais "cor-de-rosa", no fundo ele já é, só temos de o olhar com os olhos certos.

Como Estimular a Secreção de Oxitocina?
A natureza não falhou e criou muitas formas de fazer com que nosso organismo segregue a Oxitocina:
- Através do ato sexual prazeroso.
- Com caricias, com mimos, com afeto.
- Com massagem ( 15 minutos de massagem aumenta os níveis de oxitocina).
- Dar festas ao animal de estimação ( o cão não é só o nosso melhor amigo, é um grande amigo da Oxitocina).
- Praticar ioga, meditação ou exercícios respiratórios.
- Cantar, cantar em grupo, sozinho com o seu cantor preferido...
- Sentir emoções positivas, como apaixonar-se, receber um premio, participar numa iniciativa...
Tudo aquilo que estimula os nossos sentidos de uma forma prazerosa potencializa a produção de Oxitocina.
No entanto, tudo está ligado e interdependente e por isso não podemos ter défice de Vitamina C - o que se resolve aumentando a ingestão de frutas e verduras em seu estado natural.

Percebemos assim, que podemos ser mais felizes e mais saudáveis, se nos tocarmos mais, se nos abraçarmos mais, se olharmos nos olhos de quem nos é querido...