quinta-feira, 15 de março de 2018

Cogumelos Recheados


Esta semana encontrei Cogumelos grandes e comprei 4 para rechear.



Lavei-os, limpei-os e retirei a parte interna o melhor que consegui.
Reservei.



Fiz um molho com:
- Molho de soja + 1 alho picado + 1 colher sopa azeite + sal + 1 pitada de gengibre em pó.



Com ajuda de um pincel de cozinha, untei os cogumelos por dentro e por fora.



Coloquei-os dentro de uma assadeira e levei ao forno por 15 minutos.



Fiz o recheio:
- 1 cebola picada.
- 2 dentes de alho picados, 1 folha de louro.
- 1 tira de pimento vermelho cortadinho.
- 2 tomates picados.
- 1 cenoura cortadinha em pedaços pequenos, como mostra a imagem abaixo.
- 1 taça de feijão preto cozido
- 1 ramo de coentros picado
- sal, cominhos, noz moscada e cúrcuma.

Numa frigideira alta, coloquei a cebola picada, os alhos e a folha de louro.
Não coloquei nenhuma gordura.
Deixei aquecer um pouco.



Juntei o pimento vermelho.
Mexi e deixei ficar por 1 minuto.



Adicionei os tomates picados.



Mexi, deixei cozinhar um pouco.
Acrescentei a cenoura cortadinha.





Quando a cenoura já estava meio mole, adicionei a parte interna dos cogumelos.


Temperei com sal, noz-moscada, cominhos e curcuma (curry).



Juntei uns feijões pretos cozidos, que ainda estavam meio congelados.



Tapei, e deixei cozinhar por alguns minutos.



Quando feito aromatizei com um ramo de coentros picados.



Envolvi e ficou pronto o meu recheio.
Enchi os cogumelos com este preparado e enfeitei por cima com sementes de girassol. Levei ao forno até estarem com a parte superior sequinha.



E ficou assim o meu cogumelo recheado.



sexta-feira, 9 de março de 2018

Tratamento Natural do Alzheimer


Infelizmente a perda de memoria está a ser comum entre nós, alguns já aceitam que é algo inevitável com a chegada do envelhecimento.  Há pessoas com menos de 70 anos em lares devido ao Alzheimer. É uma realidade muito triste.
Sem dúvida que o Alzheimer não é parte do envelhecimento normal, mas sim uma condição que pode e deve ser prevenida através de um estilo de vida saudável.

Na maioria das vezes portamo-nos mal e depois tentamos a todo o custo socorrer-nos com uma pilula maravilhosa, prescrita por um neurologista XPTO, só que no caso do Alzheimer, essa pilula milagrosa que tapa o sintoma não existe, a medicina atual pouco tem a oferecer a nível de tratamento farmacológico do Alzheimer, por isso tudo o que tivermos para fazer, façamos hoje, na fase de prevenção.

Segundo a ciência, as células nervosas do cérebro comunicam umas com as outras através da libertação de substâncias chamadas de neurotransmissores. Acetilcolina é um neurotransmissor importante para a memoria. As pessoas com doença de Alzheimer têm níveis baixos de acetilcolina no cérebro. Quem destrói este neurotransmissor acetilcolina é uma enzima chamada colinesterase, então os medicamentos para o Alzheimer inibem essa enzima, por isso se chamam de inibidores da colinesterase (Donepezil, Rivastigmina, Galantamina).
O efeito destes fármacos não é milagroso, e varia de pessoa para pessoa.


Um estudo que pode ver aqui mostrou que níveis baixos de vitamina E, aumentam as probabilidades de desenvolver Alzheimer. Mas, pouco lhe serve ir comprar suplementos de vitamina E, seu corpo distingue inteligentemente  as vitaminas naturais das sintéticas, e sabe-se que a vitamina E natural é três vezes mais ativa que a sintética. Concluímos que o ideal é comer alimentos ricos em vitamina E.

Alimentos com Vitamina E
Normalmente são os alimentos vegetais ricos em gordura, como as sementes de girassol, as avelãs, castanhas do Pará, nozes, amêndoas, azeitonas, abacate e ovo cozido.

Outra das razões apontada como causa do Alzheimer é a diabetes tipo 2, por isso se diz que o Alzheimer é a diabetes tipo 3, pensa-se que há também no cérebro uma resistência à insulina.
Antigamente acreditava-se que o cérebro não precisava de insulina para o seu funcionamento, mas descobertas têm mostrado o contrario, a insulina contribui para o processo de obtenção de energia e também desempenha um papel importante na formação da memoria.
Então o ideal é prevenirmos qualquer tipo de diabetes, e diabetes tipo 2 é uma doença metabólica relacionada com o estilo de vida, por isso ela pode ser prevenida e curada, muitas pessoas com diabetes tipo 2 se curam. 
Segundo o neurologista Dr. David Perlmutter, o Alzheimer também é uma doença do estilo de vida, em que o açúcar e o glúten são os culpados.

Se quiser prevenir o Alzheimer, convém prevenir a Diabetes, isso se consegue reduzindo o açúcar, a farinha branca (pão, massas, bolachas e doçaria), produtos lácteos e produtos animal, existem imensos estudos que mostram a ligação entre produtos lácteos, consumo de carne e produtos de origem animal com a diabetes.
Leve uma alimentação nutritiva, rica em alimentos de origem vegetal, rica em ácido fólico, em gorduras saudáveis. Tenha sempre em atenção o estado do seu intestino, não tome (só em último recurso) antibióticos, melhore seus níveis de magnésio com alimentos ricos neste nutriente e mantenha-se ativo, sempre com vontade de aprender.
Desta forma está a prevenir o Alzheimer.







quinta-feira, 8 de março de 2018

Batata doce em palitos assada no forno


Vamos precisar de batata doce, sal, azeite e oregãos.

Descascar 1 ou mais batatas doces.
Lavar e cortar em palitos.



Colocar numa assadeira.
Temperar com azeite, sal e oregãos.
Podem adicionar as especiarias que gostem.
Espalhar bem as batatas.


Normalmente aproveito para assar outras comidas, neste caso assei ao mesmo tempo as batatas e umas hambúrgueres de feijão preto.


E o meu almoço:



Alimentos que prejudicam o aparelho digestivo


O Mundo tem muita oferta, mas nem tudo nos convém, é preciso sabermos e ensinarmos aos mais novos a separação do trigo do joio.
Você só sobreviveu até agora porque seu corpo foi capaz de extrair dos alimentos nutrientes que ele precisava e tudo isto aconteceu graças a um processo maravilhoso chamado digestão. Um sistema que converte aquilo que você põe na boca em moléculas muito, muito pequenas para poderem ser absorvidas pela corrente sanguinea.

Se olharmos profundamente os processos biológicos do corpo humano, ficamos extasiados com a sua perfeição e como tudo foi pensado ou evoluído, não interessa, o que importa é que somos uma maravilha biológica.
Mas, algo está a ultrapassar todas as previsões, são as moléculas criadas pelo homem em laboratório e adicionadas aquilo que se chamam alimentos, mais propriamente dito, os atuais alimentos processados.

Devido à vida corrida e a este tempo que não abranda o tempo, muitas pessoas obtém a maior parte da sua alimentação destes alimentos processados, algo que não é benéfico para a saúde.
Porquê?
Porque os alimentos processados ou feitos pela industria alimentar ao serem decompostos, normalmente apresentam moléculas toxicas, como por exemplo, aromatizantes, conservantes, saborizantes, gorduras hidrogenadas, altos níveis de açúcar, e quando estes alimentos são decompostos e estas substâncias chegam ao nosso organismo são recebidos como invasores estranhos, o que faz todo o sentido.

Como é que o corpo lida com substâncias estranhas?
Ele libera anticorpos para combater esses invasores estranhos, porque o corpo sabe que estas substâncias provocam dano ás células e tenta a todo o custo evitar que elas entrem na corrente sanguínea, quando isso acontece, o corpo tem de ir combate-las nos locais onde elas se instalaram, provocando assim inflamações nos mais variados locais do corpo.

Para prevenir, ou para curar qualquer doença, as pessoas devem abster-se de alimentos processados, alguns até vêm com cara de amigo, são os alimentos sem glúten, que na sua maioria são sem glúten, mas fazem parte da industria alimentar.
Na pirâmide alimentar da nutrição saudável, os alimentos processados não entram, só assim podemos ir eliminando o que já temos de errado dentro de nós e irmos prevenindo e cultivando uma saúde plena no futuro.
Pense nisto, não compre, não coma, porque a industria e a publicidade o diz, pense por si e perceba que o corpo tem sempre razão.
Estamos sempre a tempo de conquistarmos uma saúde plena e com ela a felicidade a que temos direito.


Esta senhora tem 70 anos!

Temos a crença de que estamos feios, gordos, velhos, que já não conseguimos, de que já não vale a pena, que temos esta doença ou aquela, enfim problemas e convição na persistência desses problemas, o que nos leva a estar presos ao passado.

Mudemos, antes de tudo mude a crença, passe acreditar que é possível, é possível ficar bonito, é possível ficar saudável, com energia  e vitalidade, veja historias inspiradoras de outras pessoas que conseguiram, mas mude esse monólogo lengalenga da vida triste e da pouca sorte.

A senhora da imagem é Carolyn Hartz, uma australiana de 70 anos, que há muitos anos atrás foi diagnosticada como pré-diabética e simplesmente deixou de comer açúcar, passou a fazer escolhas saudáveis, faz ioga e medita. Diz que uma mente saudável leva  a um corpo saudável e frisa que " sou uma otimista até quando os desafios caem sobre mim."

Esta senhora é um exemplo de quem não se entrega, de quem não fica preso aos problemas, mas sonha e arquiteta todo um futuro melhor e realiza. A sua silhueta não é sorte é o resultado de escolhas, tudo o que vai acontecer no nosso futuro vai ser resultados das nossas escolhas de hoje.


quarta-feira, 7 de março de 2018

Tratamento natural da Diarreia


As diarreias são na sua grande maioria um sintoma natural do organismo frente a algo que não está bem no aparelho digestivo. Pode ser um vírus, uma bactéria, uma toxina, um desarranjo intestinal por putrefação ou irritação, algo que fez com que os intestinos tivessem de expulsar o seu conteúdo rapidamente. O bolo ou melhor o quilo alimentar passa rapidamente no colon, o que não permite que haja uma secagem das fezes e por isso elas vêm diarreicas, cheias de água.
Tudo isto se dá porque o corpo sabe que tem que eliminar algo que se passa-se para a corrente sanguínea seria bem pior.
Diarreia não é doença, é um mecanismo de defesa maravilhoso do nosso corpo, só temos de aprender a controla-la, para que ela faça o seu trabalho e vá embora.
Um dos riscos associados à diarreia é a desidratação, principalmente se for criança ou idoso, porque se perde água e minerais, mas se fizerem o que vou explicar, que são tratamentos da Ciência da saúde e têm um historial de muitas centenas de anos, porque acredito que a diarreia exista desde que existe o homem.

Tratamentos para a Diarreia

- Diminuir a temperatura sobre o ventre
Quando há diarreia aguda, por norma existe um aumento da temperatura dos tecidos locais, toda a zona intestinal está mais quente, logo há uma vasodilatação dos tecidos com mais líquidos e mais sangue, o que por sua vez vai aumentar o processo putrefativo.
Então como vamos diminuir essa temperatura?
Vamos aplicar uma toalha de rosto molhada em água à temperatura da água corrente, dobrar em quatro e aplicar sobre o ventre. Por cima uma toalha de rosto seca enrolada em volta do corpo e coberta pela roupa. É extremamente importante que tanto as mãos, mas principalmente os pés se mantenham quentes, podem calçar meias, fazer massagens ou colocar os pés dentro de água quente, têm é de aquecer.
Passados 30 minutos, voltam a molhar outra vez a toalha em água fria, a retorcê-la bem e colocam novamente sobre o ventre, com a toalha seca por cima.
Posso vos garantir que é o melhor para a diarreia, além de extremamente fácil.
Tem efeito no sintoma, mas porque regulariza a circulação energética e sanguínea dos intestinos.
Caso o organismo ainda não tenha eliminado o que provocou o mal-estar, vai novamente fazer diarreia, mas acredite que a situação está controlada.
Podem dormir de noite com a toalha molhada sobre a barriga.

- Alimentação em caso de diarreia
Cozimento de arroz branco - cozer uma pequena chávena de arroz branco em quatro chávenas de agua, cozer até o arroz estar meio empapado, pode juntar uma pequena cenoura em cubinhos, cozer em água e sal.
Cada vez que tiver fome, coma algumas colheres deste arroz, mastigando muito bem, coma devagar.
Pode alternar com maçã, não deve juntar o arroz com a maçã. O ideal seria comer maçã reineta, mas pode comer outra variedade e se possível ralada, ou então mastiga-la muito bem.
Como bebida, eu gosto muito do chá de erva-doce, é feito com a especiaria, deixa ferver meio minuto e está feito, é uma delicia de chá, que além de ser digestivo, é o melhor para gases intestinais, algo sempre presente nas diarreias.
Também pode usar o chá de camomila, erva-cidreira, e no antigamente fazia-se para a diarreia chá da casca da romã seca.
Cheguei a dar à minha filha em casos de diarreia, colheradas de água com sumo de limão e um pouco de mel, e obtive sempre resultados positivos e rápidos.

Caso a situação não se resolva num dia ou dois, se continuar com a diarreia e houver vómitos, o ideal será dormir com um cataplasma de argila sobre o abdómen. Volto a referir que todas estas aplicações sendo frias têm de ser feitas com a pessoa quente e principalmente os pés quentes.

Espero ter ajudado, caso fique alguma duvida, podem sempre me perguntar.
Desejo-vos boa saúde digestiva.


Seja cravo no meio do roseiral!


A Natureza é bela porque nada é exactamente igual, tudo se expressa na sua própria magnitude. Com a Humanidade também é assim, temos de brotar para fora as sementes que dentro de nós esperam germinar, nem sempre é fácil, porque sempre esperam de nós aquilo que está normalizado, aquela atitude, aquela roupa, aquela forma de agir. mas, se lermos o livro da Natureza vemos que não é assim que as coisas funcionam, cada um de nós tem sua forma, sua cor, sua vibração. E há que haver humanidade enquanto seres inteligentes, para termos respeito por todas as variantes da raça humana.
A minha norma e aquilo que posso dizer ao outro desde o meu ponto de vista é que
sejamos nós sem medo e sem esperar nada dos outros, que consigamos ser cravo no meio do roseiral.
Sigamos em frente com aquilo que somos nós, porque junto a nós só segue aqueles que vibram na mesma frequência.
Esta é a nossa beleza, o Sermos Todos Diferentes...


terça-feira, 6 de março de 2018

Devemos tomar Suplementos?


Neste poste falei sobre deficiências nutricionais e como elas nos desequilibram e provocam doenças. Meu objetivo era levar as pessoas  a escolher melhor os alimentos, de acordo com suas necessidades, a esforçarem-se em ter uma melhor digestão  e absorção de forma a terem corpos bem nutridos e saudáveis.

Quando se fala em deficiências nutricionais muitas pessoas pensam em suplementos, mas uma coisa pouco tem haver com a outra.
Todos os que querem uma melhor saúde mais perto do natural sabem que é preferível consumir alimentos inteiros em vez de refinados, então porque esta regra havia de mudar quando falamos em vitaminas  ou outros suplementos?

Super-alimentos são diferentes de suplementos
Existem os super-alimentos, como a spirulina, o pólen, a chlorela, a maca, a levedura de cerveja, gérmen de trigo, e tantos outros que se vendem e que se tomam como suplementos, mas no fundo são suplementos alimentares no sentido que são inteiros, são alimentos inteiros concentrados. As vitaminas e minerais existentes nestes suplementos não estão isoladas e nem são sintéticas. Em vez disso são estruturas altamente complexas que abarcam uma variedade de vitaminas, minerais, enzimas, coenzimas, oligoelementos e outros fatores desconhecidos que trabalham em conjunto de forma sinérgica, para permitir que a "informação" desse suplemento/alimento faça as suas ações no corpo.
Estes super alimentos são muito diferentes dos nutrientes sintéticos, que não são naturais, pois nunca foram encontrados na natureza, são nutrientes isolados e formulados quimicamente, o que provavelmente funciona no nosso corpo como um produto químico.

Repare, a natureza não produz nenhum nutriente isolado, tudo vem misturado de uma forma especifica, o que mostra que para um nutriente funcionar bem dentro do nosso corpo ele precisa de todas as outras partes que estão naturalmente presentes nos alimentos.
Há quem defenda que o seu corpo trata esses nutrientes isolados e sintéticos como xenobioticos, ou seja substâncias estranhas e tenta ver-se livre delas.
No entanto, também temos de olhar os casos que melhoram com alguns suplementos, é o caso das gorduras ómega 3, dos próbioticos, a vitamina D para quem não apanha sol, e Coenzima Q10 para quem toma Estatinas (medicamento para baixar o colesterol). A eficácia destes suplementos dependem sempre da qualidade do produto.

A teoria ortomolecular
Oiço muitas vezes que, nos dias de hoje não é possível ter uma saúde plena, se não tomarmos suplementos, isto porque há um esgotamento do solo, há um exagero de consumo de alimentos industrializados que são vazios nutricionalmente, e há um estilo de vida stressante que consome muitas vitaminas e minerais. Quem defende a teoria ortomolecular argumenta que devemos ajudar nosso corpo com substâncias que são necessárias e que os recetores na superfície das nossas células tanto recebem uma vitamina natural como uma sintética. Embora falte fundamentação científica, esta teoria foi aceite e vivemos uma época de suplementos de vitaminas sintéticas, e muitas pessoas estão a tomar como único meio para prevenir deficiências nutricionais, pois acreditam que estas compensam os maus e pobres hábitos alimentares. Mas, será?
A frase de Hipócrates que tantas pessoas referem diz que " teu alimento seja o teu medicamento" é diferente de "teus suplementos sintéticos sejam os teus medicamentos".

Vitamina C
Toda a gente já ouviu falar dos benefícios da vitamina C, ou melhor do ácido ascórbico, em teoria parece ajudar a promover uma boa saúde, mas o que é ótimo na teoria nem sempre é tão grande na realidade.
A vitamina C natural contida no limão ou na laranja vem num "pacote" associada a outras substancias como bioflavonoides, fator J, fator K, Fator P, tirosinase, ascorbinogen e ácido ascórbico, a vitamina C para ser absorvida e fazer a sua função no nosso organismo precisa de todos estes co-fatores. Os suplementos de  Vitamina C ou ácido ascórbico sintético não são iguais à Natureza, então o corpo para usar a formula sintética tem de ir buscar às reservas dos tecidos corporais todos esses componentes para fazer uso dela. Poderá sentir-se bem por um tempo, mas quando se esgotarem nada feito.

Um artigo no American Journal of Clinical Nutrition (Vol. 87, No. 1, 142-149, janeiro de 2008) mostrou que tomar o suplemento de Vitamina C prejudicava os músculos, pois comprometia a função mitocondrial e inibia as enzimas antioxidantes do corpo como o superóxido Dismutase (SOD) e o peróxido de glutationa, o que diminuía o sistema imunológico do corpo, reduzindo a capacidade de fazer frente a infeções. Neste caso, em vez de ser um antioxidante benéfico, o suplemento de vitamina C mostrou funcionar como um pró-oxidante adverso.

Vejamos, os humanos não podem produzir  vitamina C, então devem ingeri-la, mas o ser humano depende de uma alimentação baseada particularmente em frutas e vegetais que são excelentes fontes de vitamina C, a biologia humana não aceita vitaminas sintéticas, o que faz todo o sentido, visto que o designe da vitamina C natural é diferente da vitamina C sintética, e o mesmo se passa com as outras vitaminas ou minerais.

Conclusão
Precisamos de nutrientes, eles exercem funções no corpo que tratam os nossos desequilíbrios físicos, mas eles têm de vir da Natureza, da terra, não do laboratório. Pode levar décadas, mas os cientistas vão ter de perceber que a magnitude dos benefícios dos  nutrientes está no alimento inteiro, por isso use super-alimentos, não suplementos.



Almoço do dia


Trago-vos mais uma ideia de prato saudavel e muito saboroso.
Cogumelo recheado com feijão preto, puré de millet com couve-flor, 2 rodelas de batata doce assada, e salada com varias folhas verdes.

Todos os dias são bons


É muito comum no nosso dia a dia, não olharmos as pequenas coisas da vida, mas são estas que alimentam a nossa Alma.
O dia está chuvoso, mas o"bom-dia" dado pelo seu vizinho está cheio de alegria.
A hora do almoço é pequena, mas o prato está divino.
Durante o dia respirou ar condicionado, mas agora abre o vidro do carro e enche os pulmões.
Nunca o dia está inteiramente perdido.

Há sempre algo que salva o dia.

segunda-feira, 5 de março de 2018

Saúde é um estado completo de Bem-Estar



“ Saúde é um estado perfeito (completo) de bem-estar físico, mental, social e não é apenas a ausência de doenças.”
Esta é a definição da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O corpo humano é um organismo que vive como uma unidade.
A Mente faz parte dessa mesma unidade.
Nunca sabemos onde termina o corpo e começa a mente, da mesma maneira que nunca sabemos a que temperatura termina o frio e começa o calor.

Qualquer transtorno ou dor física é sempre um problema para a nossa mente, assim como qualquer crise mental transforma o corpo. Quando sentimos dor na garganta, não dói também a alma?
 Se nos sentirmos “feridos na alma” nosso corpo perde a mobilidade, se “paralisa” e a respiração torna-se superficial e agitada.

Quando estamos saudáveis vivemos mais ligeiros, mas quando estamos doentes vivemos mais pesados.
Os órgãos do corpo vivem em comunidade, da mesma forma que os humanos, eles colaboram, trabalham em comum para o bem geral, para a saúde do organismo Corpo-Mente.

Na saúde os órgãos do corpo vivem em harmonia, em total interdependência e quase não os sentimos.
Na doença os órgãos “se fazem sentir” e aparecem sensações internas desagradáveis aos quais chamamos de sintomas de doença. É sentir algo num lugar que normalmente não sentimos.
Com frequência os sintomas indicam que não estamos a dar muita importância ao nosso corpo e ao desequilíbrio existente entre os órgãos. Talvez estejamos a gastar excessiva energia em atividade exterior ou dar voltas com a cabeça em monólogos internos, especialmente quando as coisas não vão como nós queremos.

Hoje em dia gastamos pouca energia com a atividade física e muita com nossas preocupações, inseguranças e medos. O medo do futuro nos faz perder muita energia, e canalizamos esses medos para companhias de seguro que nos “vendem” as sensações de segurança. Mas a única segurança que não depende dos outros é a confiança em nós mesmos e é a que nos falta nesta época de mudanças drásticas.
Os medos se manifestam no corpo.

As palavras psíquico e psicológico, ou seja quando nos referimos a qualidades ou capacidades mentais vem do grego psikhé que originalmente significava alma, entidade maior e não puramente mental como atualmente se designa.
A palavra somática é utilizada quando nos referimos ao corpo físico, provém da palavra grega soma, palavra com a qual se designava o corpo, mas numa situação especial, o corpo sem vida, ou corpo morto. Da união ou “casamento” da palavra psiquis com a soma surge um dos campos mais importantes da investigação em medicina: a psicossomática.
A visão psicossomática da doença é uma visão global do ser humano tanto como corpo físico como “corpo” mental.

No entanto, se no ser humano não existir uma integração entre o que se pensa (movimento mental) e o que se faz (movimento corporal) podemos dizer que não há cura.
Quando nas nossas vidas, a regra geral é pensar algo e fazer o contrário do que pensamos ou não fazemos nada, estamos a criar desequilíbrios ao qual chamamos doenças.
Reprimimo-nos ou evitamos realizar nossos pensamentos, guiamo-nos por modelos sociais nos quais vivemos, com hábitos adquiridos desde de criança.

A mente em diversas tradições é chamada de “corpo mental” e nos possibilita pensar, o corpo nos permite fazer.
 Entre a mente e o corpo se encontra “o sentir”, o coração.
 Se aquilo que penso está alinhado com o que sinto e com o que faço estou a curar. Caso contrario, se penso uma coisa, sinto outra e faço outra que não tem haver com o que estou a sentir, eu estou a criar desequilíbrios ou seja doenças.
Outra forma de manifestar o que eu penso ou sinto com o que faço, é o que eu falo, ou seja como me expresso (comunicação verbal e comunicação corporal).
Eu me curo quando alinho o eu-penso, eu-sinto, eu-faço e eu-falo. Caso contrário deixo de ser Eu.

O grande perigo das especializações ou das sub-especialidades da medicina atual, da psicologia e da psiquiatria é de fixarmo-nos nas partes e deixarmos de ver o Todo Integrado. Porque todas as pessoas são muito mais que as somas das partes.

A cura não se cria a partir de intervenções externas (medicamentos, operações cirúrgicas, etc.) num órgão ou noutro.
A doença é sempre “uma unica doença” e se manifesta segundo a nossa constituição, idade, trabalho, clima, sexo, forma de pensar e viver.
 A doença é a rutura do mínimo equilíbrio necessário entre os diferentes mas complementários órgãos do corpo, rutura entre a mente e o corpo, entre nós e nossa família, entre cada uma das pessoas que vivem no mundo e no meio ambiente que as rodeia (e as alimenta) entre o ser humano e a sociedade desumanizada em que vivemos.
Vivemos uma perda de ecologia interna com nós mesmos (entre nossos órgãos e mente) e com os outros e não podemos cair na tentação de deitar a culpa das nossas doenças a baterias e vírus, à herança, à idade, ao clima, ao frio, á má sorte, a Deus que decidiu assim…
Não podemos seguir desmembrando cada uma das partes do corpo, nem separar o corpo da mente, não podemos isolar nossa saúde da saúde da terra, não podemos desagregar o bem-estar de um ser humano daqueles que o rodeiam. O Universo não está formado de “caixas” quadradas, separadas umas das outras, sim de esferas ou círculos concêntricos incluídos uns nos outros, ao estilo das conhecidas bonecas russas, em que a maior tem dentro uma serie de bonecas iguais mas mais pequenas.
Quando falamos de ecologia, falamos da interpelação da Natureza e do equilíbrio do ser humano com ela.

Não podemos esquecer a ecologia da nossa própria natureza (corpo-mente) e a ecologia entre os seres humanos.
 Se percebêssemos isto, talvez explicássemos melhor a saúde e a doença.
À Tua Saúde!

Texto do Dr. Karmelo Bizkarra

Espinafres e seus beneficios


Quem se lembra do nosso amigo Popeye e da sua lata de espinafres milagrosa?
Os espinafres são folhas cheias de nutrientes, por isso devem ser adicionados a saladas, a smooties, a suco de vegetais e em cozinhados, devem fazer parte da alimentação diária.

Que vitaminas e minerais têm os espinafres?
O que ganha o nosso corpo com a informação que os espinafres nos dá?

 - Deve estar presente na alimentação da grávida e de quem quer ser pai.
É o alimento mais rico em ácido fólico (vitamina B9), ou melhor dizendo é o mais rico na formula natural da vitamina B9, uma vitamina importante para limpar o sangue, para reduzir o risco cardiovascular e necessária nas gravidas, por isso se suplementa.
Os espinafres além de ácido fólico também têm zinco por isso são imprescindíveis na gravidez, durante a lactância e para quem quer ser pai, pois aumentam a fertilidade e o número de espermatozóides.

- Mostrou proteção em alguns cancros.
Os espinafres têm boas propriedades para frear o câncer de pulmão, de fígado, de vesícula biliar, de cólon, de mama e colo do útero.

- Espinafres são muito importantes para a saúde dos olhos.
Os seus betacarotenos, uma vez ingeridos se transformam no fígado e no intestino delgado em vitamina A, a vitamina A é essencial para os olhos, uma deficiência da mesma se associa a problemas graves de visão.
Os espinafres são os vegetais mais ricos em luteina e zeaxantina, uns flavonoides que nos protege de muitas doenças, entre elas a degeneração macular da idade ou a perda de visão, como consequência da degeneração da vista. Estes flavonoides também defendem a vista contra cataratas.

- Espinafres são bons para o coração e circulação sanguínea.
É um alimento recomendável para quem tem problemas cardiovasculares, pois tem alto conteúdo em acido fólico (vitamina B9) nutriente essencial na limpeza das artérias, além disso o ácido fólico reduz os níveis de homocisteína no sangue, que estão relacionados com enfartes do miocárdio, e outros problemas inflamatórios.
Espinafres são folhas verdes, logo ricas em magnésio, o que diminui a pressão arterial alta, ajuda na evacuação, na ansiedade e em todas as ações que o magnésio efetua no nosso corpo. 

- Ajudam na obstipação.
Espinafres cozinhados ou em esparregado são uma maneira excelente de tomar altas doses de fibra com pouco volume. É um alimento facilmente digerível e rico em fibras indicado na obstipação.

- Esta planta tem todos estes benefícios, mas não deve ser ingerida em grandes quantidades por pessoas com pedra no rim, pois contêm oxalatos.

Falarei nisso em outro poste, mas o espinafre deve fazer parte da alimentação das pessoas com diabetes tipo 2, estudos apontam que ele vai ser um promissor suplemento dietético para a prevenção da resistência à insulina, além de melhorar a homeostase lipídea, alivia a inflamação, e melhora toda a função endotelial.

Há sempre muito a dizer, os estudos são muitos e apontam sempre vários benefícios, mas podemos concluir que temos que introduzir na nossa alimentação o espinafre.

Antigamente, usava espinafres na sopa de grão, atualmente passei a usá-lo cru, quase diariamente na salada, também o uso em esparregado.

Espero que vos tenha convencido a usar a espinafre, pois acredito que todos os que me leiam desejam ser fortes como o Popeye, e ambicionem uma saúde perfeita.

Todo o problema traz uma alavanca



Por vezes chega-nos algo que não estávamos à espera e ficamos com o peito apertado, com medo, achar que não temos saída.
 A primeira coisa a fazer é respirar, inspirar para ficarmos inspirados e percebermos que aquele pedregulho que chegou à nossa vida trouxe com ele uma alavanca, e se quisermos descobrimo-la e usamo-la. 
Tudo tem as duas faces da moeda, os problemas também, há que não entrar em pânico, depois perceber que não existem problemas, existem desafios que tem de ser encarados e resolvidos e todos nós temos o poder de os solucionar.

domingo, 4 de março de 2018

Receita de Húmus de Grão


Para fazer Húmus de grão é necessario:
- 1 xícara de grão cozido.
- 2 colheres de sopa de azeite.
- Sumo de meio limão.
- sal.
- 1 dente de alho e meia cebola.
- 1 raminho de coentros.

Primeiro temos de ter o grão cozido, no meu caso eu coloquei de molho na noite anterior e cozi o grão. Mas, podem usar o que já vem cozido em frascos.



Numa picadora, colocar todos os ingredientes.


Bater até ficar uma massa homogénea.


Está pronto.
Colocar numa taça e servir.
É um tipo de paté.



Juntei a um dos meus almoços.



Olhe para dentro e viva aqui fora


É nesta dualidade de olhar para dentro e para fora, que nos descobrimos e conhecemos quem somos o que queremos.
Quando nós sabemos isto, nada nos impede de viver aquela que é nossa Vida. Temos que abrir os braços, respirar e na Inspiração perceber que não temos de seguir os outros, temos que descobrir a nós e defender quem somos.
Todos os dias olhe para dentro e desabroche um pouco mais, depois sonhe e viva Aqui, cá fora, no Mundo que o espera...

sábado, 3 de março de 2018

Deficiências nutricionais causam doenças


Vivemos uma época de fartura (1), de uma forma ou de outra toda a gente come, a fome propriamente dita não existe.
Estamos alimentados, mas será que estamos nutridos? E não é a mesma coisa?
Não! Eu posso comer um prato de batatas fritas, e uns nugets pré-cozinhados, ou uns douradinhos, ficar de barriga cheia, mas não fico nutrida.

Para ficarmos nutridos precisamos de comer alimentos ricos em nutrientes, ricos em substâncias que possuem funções especificas no nosso organismo. Por isso é que comemos.
Comer não deve ser uma ação de satisfazer a boca, mas sim o corpo, porque comemos para alimentar células, porque nós somos um aglomerado de células.

Precisamos de nutrientes do tipo energético, construtor e regulador, uns vão-nos dar energia, outros fazem parte da construção de material orgânico e outros regulam o bom funcionamento do organismo. Todos eles são importantes na prevenção de doenças. Por isso, faz todo o sentido analisarmos o que comemos, faz todo o sentido olharmos os nutrientes que estamos a comer ou a não comer em caso de doenças, por exemplo em caso de pressão arterial alta, será que a pessoa consome alimentos ricos em magnésio?

Um estudo publicado num jornal cientifico " Journal Nutrients" em 2013, mostrou que há muitas deficiências de minerais e vitaminas em muitas pessoas. Obviamente essas pessoas começam por apresentar sintomas, manifestações de falta de algo no organismo, como tal têm alergias, depressão, dores, fadiga, falta de vitalidade.

Por exemplo, muitas pessoas tinham falta de ácido fólico. O acido fólico é quem controla a divisão das células, de uma em duas, de duas em quatro, o que se chama mitose. Um dos problemas envolvidos no cancro é a falta de acido fólico, porque o corpo não se pode reproduzir corretamente, o ADN se danifica ou se reproduz de forma errada e isso pode levar a células com mutações ou cancerosas.

Outro grupo tinha deficiência de Vitamina B12, que é uma das principais causas de depressão, muitas pessoas passam a vida deprimidas a tomar fluoxetina para manterem no cérebro a serotonina, mas uma outra causa é a deficiência de Vitamina B12. O medicamento - omeoprazole - ou qualquer outro que bloqueie a bomba de protões,  que muitas pessoas tomam, inibem a absorção desta vitamina. A falta de B12 pode levar a anemia, formigamento nas mãos e pernas, fraqueza muscular, infertilidade, demência entre outros.

Nesse estudo encontraram pessoas com deficiência em zinco, que é um mineral que entra em mais de cem ações enzimáticas, orgânicas e hormonais. O zinco é extremamente importante para o homem, porque é co-factor da testosterona e da potencia sexual. Quando o corpo do homem não tem zinco, ele não consegue produzir testosterona e desaparece toda a potencia sexual, e surgem os problemas cardiovasculares, porque tem-se visto que os ataques de coração surgem nos homens com níveis de testosterona baixa.

Este grupo de pessoas analisadas mostrou a nossa realidade atual, quantos dos nossos desequilíbrios não se devem à falta de nutrientes? Com certeza que saúde é muito mais que nutrição, mas tem um papel extremamente importante, senão mesmo o mais importante.

Muito mais há a dizer, para comprovar que é alimentação, aquilo que comemos que forma a nossa parte física, e ela precisa de ser pensada, porque atualmente há a industria alimentar e que nada tem haver com nutrição. Não podemos seguir anúncios publicitários, temos que ir além daquilo que nos querem vender. Há que investir um pouco do nosso tempo a perceber o nosso corpo físico, depois a pensar e a fazer por nós.

(1) Refiro-me à Europa.