terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Crataegus - a planta do Coração


A doença que mais mata, que mais traz problemas são as doenças cardiovasculares e muito se tem falado de como prevenir esta doença, porque há realmente muito a fazer, mas hoje só vos venho falar de uma ação terapêutica - a fitoterapia.

Se temos de agir no corpo, controlando alguns sintomas, então que o façamos com fitoquímicos, com princípios ativos das plantas, com "coisas" criadas pela Natureza e não em laboratório, aquilo que é criado pelo homem e não existe na Natureza é para o nosso corpo um "ET" ou seja um extraterrestre, nossa genética desconhece, nem sei como é que sobrevivemos a tanta invasão.

Continuando com aquilo que quero falar, que é da planta do Coração - Crataegus Oxyacantha, conhecida em Portugal por Pirliteiro. O recurso a esta erva para fins medicinais, faz-se desde de tempos remotos, logo já provou que era segura para o organismo humano.
Faz-me um pouco de confusão, algumas pessoas terem receio de tomar uma planta que tem sido tomada por mais de dois mil anos e não terem medo de ingerir um "medicamento" que na maioria das vezes nem cinco anos de historia tem, que ainda não provou a sua segurança. Enfim...são só divagações.

Na historia, o Crataegus tem sido usado para varios fins, mas no ano de 1896 o Dr. Jennings escreveu o primeiro artigo sobre as propriedades cardiotónicas do Crataegus, que foram comprovadas em vários estudos científicos a partir de 1960.
O medico e professor Rudolf fritz Weiss no seu livro Herbal Medicine de 1989 diz que o Crataegus é indicado nas anginas de peito, que tendem a desaparecer com a toma continuada, na hipertensão, nas arritmias cardíacas e como acompanhamento dos enfartes do miocárdio.

Os extratos de Crataegus são utilizados para reduzir a insuficiência cardíaca, a angina de peito, a hipertensão arterial, os níveis de colesterol e a tão temida deposição de colesterol  nas paredes das artérias. Os seus efeitos benéficos parecem estar relacionados com um maior suprimento de sangue no coração devido à dilatação das artérias coronárias, e por uma melhoria nos processos metabólicos que levam a uma maior força contrátil do musculo cardíaco, eliminando assim alguns distúrbios do ritmo circadiano, assim como pela inibição da enzima conversora da angiotensina.
A capacidade desta planta dilatar os vasos coronários tem sido demonstrada em vários estudos.
A melhoria dos processos metabólicos do coração é resultado, por um lado do aumento da oxigenação do miocárdio e, por outro lado das interações dos flavonoides com enzimas, nomeadamente com a fosfodiasterase.
O Crataegus também tem uma ação positiva ao inibir a bomba Sodio/potasio, proteína integral da membrana que mantem o potencial de repouso cardíaco por ação do ácido ursolico. Ao se inibir esta bomba ocorre maior quantidade de cálcio intracelular e consequentemente um aumento da contração muscular.
Quando o musculo cardíaco está com falta de oxigénio ocorre um mecanismo fermentativo com produção de acido láctico, o que nós chamamos de angina de peito. Neste caso o Crataegus é extremamente benéfico visto que por um lado dilata os vasos coronários  e por outro possibilita uma melhor utilização do oxigénio que leva a uma diminuição dos níveis de acido láctico no tecido cardíaco.

Se você tem doença cardiovascular, e seu medico ou seu cardiologista nunca lhe falou na planta de Crataegus, ou até desaconselhou, é porque desconhece, não tem informação acerca deste assunto e por isso não pode nem sequer ir contra. O extrato de Crataegus foi aprovado pela Comissão Europeia e é frequentemente usado por médicos Europeus em caso de insuficiência cardíaca das classes I e II, na angina de peito, na hipertensão e nas arritmias.
A dose diária pode ir até 900 mg por dia.

Um fator importantíssimo e a não esquecer é que - sem inflamação não há doença cardiovascular - e o Crataegus é anti-inflamatório.
Depois de tudo esta planta que é uma arvore, ainda tem propriedades gastroprotetoras e hepatoprotetoras, ajuda o nosso estomago e o nosso figado, além de muitas outras atividades e todas elas boas para o nosso corpo.
Que mais posso dizer? Que pensem nisto, se não quiserem confiar, pesquizem, vejam como a Natureza é Mãe.

Se tem 30 ou 40 anos e começou a ter os seus níveis de tensão arterial altos, se sente cansaço ao fazer esforço, dor no peito, ou se sofre de aterosclerose, insuficiência cardíaca, está na hora de rever sua vida, fazer uns ajustes na alimentação, pensar em exercitar o corpo, apanhar sol e tomar  Crataegus. 

Também pode ler:

- Será que precisa de tomar medicação para a Pressão Arterial? Os valores mudaram para pessoas com 60 anos.




Sem comentários:

Enviar um comentário