quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O que me faz feliz? E o que me mantém no caminho do auto-conhecimento?

imagem copiada net


Habitamos o mesmo “espaço” e “tempo”, mas não vemos, não sentimos e não somos iguais.
E o bom da vida é isso mesmo.
É descobrir que o meu caminho é tão diferente do outro, é compartilhar historias, é envolver-nos com outros seres humanos, com suas convicções e desejos, é sempre um errar e recomeçar.

Sempre acreditei que cada um tem um caminho, metade pré-definido e a outra metade criada por nós, semelhante com o que acontece na Saúde, uma parte é herdade, a restante é ganha de acordo com o estilo de vida.

No entanto, tenho conhecido pessoas que não possuem uma direção definida, e estes são os que considero muito diferentes de mim, não os acho melhores ou piores, simplesmente diferentes.

Acredito que, quando estamos cientes daquilo que queremos, quando entre mim e o meu objetivo não há duvidas, o caminho fica mais desimpedido, mais livre para eu passar.

Objetivos, não têm que ser coisas materiais, e até podem nem ter que ser externas, têm é de estar unidos, pegados à linha das minhas atrações.

Diariamente me pergunto, o que me faz feliz? E o que me mantém no caminho do auto-conhecimento? A resposta a estas duas perguntas limpam as pedras para eu passar.

Sem comentários:

Enviar um comentário